quinta-feira, dezembro 14, 2006

Poema Fodido

Apetece-me escrever como o Bocage,
Mandar tudo para o caralho,
E que se lixem as boas maneiras.
E num poema fodido,
Porque estou com um humor de cão
Mando à merda a boa educação
E escrevo o que me apetece
e Dou um murro no poema
Como se desse um murro nas trombas
De quem não gosto e me chateia.
A merda que escrevo é só minha
Não sou correcto, educado, certinho
Portanto mando a poesia para o caralho
E num poema fodido
Esmurro a página e a linha.
Porque escrevo o que me apetece
E à merda a merda que escrevo!

2 comentários:

Luis disse...

foda-se! gostei mesmo.


una demanda: a foto parece-se com o al berto ou é o al berto?

SAMU disse...

"E ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcão deixas viver sobre a pele uma criança de lume e na fria lava da noite ensinas ao corpo a paciência o amor o abandono das palavras o silêncio e a difícil arte da melancolia"

Semelhanças apenas...
Bem vindo sejas...